Colaboradores

Biografia e contato dos poetas e dos artistas que tiveram seus trabalhos publicados no Fanzine À margem. [Informações declaradas pelos(as) autores(as)].

Galeria em construção. [Se você participou do Fanzine À margem e não está aqui, por favor, entre em contato por e-mail: fanzineamargem@gmail.com].

Allan da Rosa

Créditos: xxxxxxx

Allan da Rosa Escritor de Ficção, Poesia e Teatro desde 2005. Compôs peças teatrais com companhias de diversos estados brasileiros. É angoleiro, historiador, mestre e doutor em Educação pela USP, onde defendeu a tese “Águas de Homens Pretos: Imaginário, Cisma e Cotidiano Ancestral em São Paulo (do século 19 ao 21)”. Pesquisa estética e políticas negras. Já coordenou cursos, seminários e publicações referentes às obras e trajetórias de Jorge Ben, James Baldwin, Muniz Sodré, Itamar Assumpção, entre outros artistas. Produziu e apresentou os programas “À Beira da Palavra” e “Nas Ruas da Literatura”, pela Rádio USP FM, entrevistando e apresentando autorias da diáspora africana e lendo suas obras. É autor de “Pedagoginga, Autonomia e Mocambagem”, ensaio sobre culturas negras e educação popular. Como editor, criou o clássico selo “Edições Toró” no princípio do Movimento de Literatura Periférica de SP, publicando vári@s autor@s. Apresentou oficinas, conferências, recitais e cenas em todas as regiões do Brasil e em universidades, bibliotecas e centros comunitários de Moçambique, Cuba, México, EUA, Colômbia, Argentina e Bolívia.

Alexandre Oliveira

Nasceu em Osasco-SP, em 1982. É poeta e músico; graduado em ciências sociais (Unesp) e mestre em literatura portuguesa (USP).

Alexandre Ruszczyk (Poeta)

Nasci com 6,2 kg em parto difícil. Recebi um sobrenome mais difícil ainda, impronunciável. Aos cinco anos, capturei uma linda borboleta com saco de coar café. Mergulhei nas borboletas a vida toda, como Biólogo e professor de Ecologia. Escolhi a profissão errada.  Amei a mulher errada. Esta ausência me trouxe a música e a poesia. Finalmente, dois acertos!

Aline Hernandez

Mulher lesbika, profa da UFRGS, psicóloga, amante da literatura, leio, escrevo, luto…

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/3778059845391762

André Gadelha

André também atende por Gadelha, e tem como profissão a revisão de textos e como paixões a música e a poesia. Participou com poemas em fanzines como o Ingrediente (produzido por alunos do curso de Letras Fapa, graduação que terminou em 2011) e À Margem, da minha amiga Piqui. Também tem um poema publicado na revista Gente de Palavra. Em 2009, fez uma apresentação com composições autorais no projeto Cantando para Elis, na Casa de Cultura Mario Quintana, além de fazer trabalhos como intérprete e violeiro de música popular brasileira em espaços como Lechiguana e Guernica. Acredita na poesia e na música como formas de aumentar o mundo, já que o cotidiano não basta.

Quem quiser escutar algumas interpretações e composições, basta acessar o perfil do Instagram: https://www.instagram.com/andredasletras/.

Antônio Falcetta (Toninho)

Antônio, vulgo Toninho, Falcetta. O magistério foi o campinho de trabalho no qual mais me investi e por mais tempo. Meu estofo semiótico-espiritual lhe deve muito. O desejo de escrever descobri escrevendo. Foi cedo, logo depois da descoberta do prazer e do medo da leitura. Resultou em mania. A mania em trabalho. O trabalho em um fazer lúdico. O lúdico em busca do poético. Do ético. Preocupa-me a ergonomia da alma. Acho graves os poderosos imãs que  nos confinam no eu. Com status de veterano, o que me ajuda um pouco a entender as coisas e a dimensionar a ignorância, sei pouco sobre muito. Nada sobre a fome, sobre o frio, sobre a falta de afeto. Meu lado é repleto e enxuto. Meus luxos são mínimos: um vinho escolhido, uma casa simples longe da cidade, um pátio com plantas, cães, pássaros e a vida minúscula dos insetos. Considero a experiência a melhor das aulas. A sorte é que o enredo é rico, e os papéis, vários.

Belizario

Natural de algum lugar do continente africano. Fixado no comércio de escravizados como Gêge, do antigo Reino de Daomé, hoje Benin. A forca em Satolep não foi o limite…desembarcou em outros portos e segue seus cantos de amor e rebeldia.

Site: http://belizariandorevisitado.blogspot.com/

Carlinhos Guarnieri

Sou Assistente Social. Atualmente atuo como Agente Socioeducador na FASE. Estudei na UFRGS e também sou Redutor de Danos e Educador Social.
Facebook: https://www.facebook.com/carlinhos.guarnieri

Cláudia Borba (Pomba)

Conhecida como Pomba, Cláudia percorre diversas linguagens: cinema, grafismo, música e literatura. Professora da rede pública de Porto Alegre. Trabalha com cinema e exerce(u) diversas funções na área do cinema, inclusive dirigindo um curta metragem, Pé de Cabra, havendo repercussão dentro e fora do Brasil. Participou de três antologias gráficas com outros ilustradores nacionais e fez parte de exposições coletivas de ilustrações. Pomba vê nas artes e na educação pública oportunidade de autoconhecimento, resistência e de alçar voo para um mundo mais criativo e justo.

Facebook: https://www.facebook.com/claudia.pigeon

Cláudia Tomaschewski

Ganho a vida como professora de História. Desde criança gosto de inventar poemas e de andar pelos campos, cantando e observando o mundo, além de dançar e comer laranjas e bergamotas. Não tenho muitas pretensões, mas gostaria de viver em um mundo mais simples onde houvesse mais amor. A paz não é possível sem luta.

Facebook: https://bibliocaos.blogspot.com/

Eliane Bruél

Sou Artista e educadora, formada em Artes Plásticas pela Escola Superior de Artes Santa Cecília (1991), pós-graduada em Arte-educação pela UNIVALE (1992) e Arteterapeuta pelo Instituto da Família de Porto Alegre (2005).

A cidade e as relações nela estabelecidas, propicia-nos pensar ações poéticas e políticas na arte e na vida.  Minha pesquisa propõe a produção de experiências na cidade, a geração de espaços de relação e a promoção de diversas formas de participação individual e coletiva. Ando pelo Brasil e fora dele promovendo lugares de liberdade e criação onde o envolvimento do/a espectador/a torna-o/a muitas vezes coator/a.  Os trabalhos Sombra Portátil (https://www.instagram.com/sombraportatil/), A menina do Banquinho (https://www.instagram.com/ameninadobanquinho/) e o Aqui Teletransporte oferecem possibilidades afetivas e plurais.

Instagram: https://www.instagram.com/eliane_bruel/

Facebook: https://www.facebook.com/eliane.bruel

Fabrício Fortes

Fabrício Fortes é natural de Porto Alegre-RS e reside no Rio de Janeiro desde 2014. É professor de de violão, compositor, violonista e intérprete. Apresenta seu trabalho em diversos saraus, eventos e casas de shows, apresentando-se, também, em teatros e salas como Casa de Cultura Mário Quintana, Santander Cultural e Teatro de Arena, no Rio Grande do Sul, e no Rio de Janeiro, no Memorial Municipal Getúlio Vargas, Teatro Ziembinski, Teatro Gláucio Gil, Arena Dicró e Arena Gilberto Gil. Foi premiado como melhor intérprete no I Festival de Música da Univates-RS, foi finalista do 6° Festivale-RS como compositor e intérprete, foi premiado como cantor do ano pelo Sarau Pólem-RJ (2018).

Instagram: https://www.instagram.com/minhampbmorde/

Canal no YouTube: https://www.youtube.com/results?search_query=minha+mpb+morde

Felipe Fiorenza Nunes

Felipe Fiorenza Nunes, 39 anos, natural de Santiago/RS é ator, músico e compositor, educador popular pela Ecoaecoa Coletivo, instrutor de Yoga e poeta.
Vive em Porto Alegre desde 2003, onde vende seus livros de teatro, poesia, seu disco de músicas autorais Flecha Certeira, nos bares e nas ruas da cidade.
Formado em teatro em 2013 pela Escola Popular de Teatro da Terreira da Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz e atualmente íntegra o grupo de teatro Coadjuvantes de Charqueadas/RS.

Escolha onde você quer ouvir o disco Flecha Certeira: https://smarturl.it/FlechaCerteira
Viva a Música Independente!
Viva a Música Popular Brasileira!

Canal no YouTube: https://youtu.be/hpsjej0lAuQ

Livro: https://drive.google.com/file/d/1kbRuiypKWI3XrBdSI-xa-x5ZsRdSnAVg/view?usp=drivesdk

Hamlet envenenado ou o gosto do azedo no ISSUU: https://issuu.com/ecoaecoacoletivo/docs/hamlet_envenenado_ou__o_gosto_do_az

Para colaborar com o trabalho do Felipe, deixe alguma contribuição no Pix : (51) 99216 7613

Jeferson Tenório

Jeferson Tenório  nasceu no Rio de Janeiro, em 1977. É doutorando em teoria literária pela PUCRS. Estreou na literatura com o romance O beijo na parede (2013), eleito o livro do ano pela Associação Gaúcha de Escritores. É autor também de Estela sem Deus (2018). O avesso da pele (2020) é seu romance mais recente, publicado pela Companhia das Letras.

Facebook: https://www.facebook.com/jeferson.tenorio.9

Instagram: https://www.instagram.com/jeferson.tenorio.9/

Créditos da Foto: Carlos Macedo

Laurence West

Laurence West, dos tambores, pratos, baquetas e aulas de bateria, a virada do milênio o realizou como historiador, professor e cineasta independente com o trabalho de Cine Marighella, e tendo o Espetáculo Censuradas do Rock Anos 80 estourado às bordas do apocalypse pandêmico.

Para assistir ao curta Cine Marighella acesse: https://www.youtube.com/watch?v=kKeC0Ze9nuo

Twitter: https://twitter.com/Laurenc56062362

Lígia Savio

Lígia Savio, porto-alegrense, professora de Literatura, escreve desde criança, mas só se assumiu realmente como poeta há alguns anos atrás, quando publicou seu livro de poemas No Dorso da Palavra (2015). Em 2018, publicou seu segundo livro Fios de Aço. Tem participado de várias antologias do Mulherio das Letras.

Acredita que Poesia é Resistência!

Instagram: https://www.instagram.com/ligiasavio/

Facebook: https://www.facebook.com/ligia.savio.9

Blog: http://aguadaspalavras.wordpress.com

Maria Luiza Falcetta Bitencourt (Malu)

Nascida às 18 horas do dia 11 de outubro de 1951, ao som da Ave Maria. Mulher velha, mãe do Diogo e da Luisa, vovó da Olívia, feminista, assistente social aposentada. Em relacionamento profundo, a partir dos 50 anos, com as palavras ditas, escritas e imagens. Andadeira das vias urbanas, legado do Serviço Social, anda ao encontro das pessoas, das lembranças de tempos passados, do aqui e do agora. Publicou, toda prosa, no FANZINE À MARGEM, a convite da Piqui, Poesia Mordida. Posteriormente, participou da produção coletiva do Livro, Cd, com audiodescrição T5 VERSOS E TRANSVERSAIS.

Mestre Chico

Mestre Griô Chico é conhecido por trazer histórias políticas sobre comunidades africanas e afrobrasileiras, relatando a opressão de países e corporações sobre povos de culturas tradicionais – que acarreta na fragilização destes devido ao distanciamento de suas raízes – assim como promove a sabedoria ancestral e a riqueza da cultura negra.

Mestre Paraqueda (Eugênio Silva de Alencar)

Mestre Griô Paraqueda (Eugênio Silva de Alencar).

Às vésperas da imposição do Estado Novo de
Getúlio Vargas, no dia 28 de maio de 1937,
nascia no antigo Alto da Bronze, na rua Duque
de Caxias em Porto Alegre, Eugênio Silva de
Alencar, mais conhecido como Paraqueda. Foi
criado no Areal da Baronesa, entre
descendentes de escravos, como ele, e músicos
que marcaram a cena de POA e do Brasil.
Ganhou seu apelido de quando havia servido
como paraquedista no Exército. Hoje mora no
morro da Vila São José, e lá de cima continua a
observar a cidade, vivendo entre tempos
distintos, de suas memórias e as dos seus
antepassados… construindo sambas nas palmas
das mãos e poesia nas desventuras de seu
coração. (Texto de Caiuá Al-Alam)

Mestre Renato (Renato Bêabá)

Mestre Griô Renato trabalha na Escola do Bêabá de Angola Malta dos Guris e das Gurias de Rua. Educador de Tradição de Matriz Africana. Faz tambores tradicionais e ministra oficinas de tambores e de capoeira.

Site: https://maltadobeabadeangola.blogspot.com/?m=1&fbclid=IwAR2za5VsnXAe8-qTVEAXWOnkRpvMwPolnHKx6E-h_Xviq56mpdA6zrBSiPg

Facebook: https://www.facebook.com/renato.beaba

Entre em contato para encomendas de tambores de matriz africana e agende aulas de capoeira e de tambores: 51 984697097

Mestre Zé dos Rios (José de Oliveira Luiz)

Mestre Griô Zé dos Rios (José de Oliveira Luiz) nasceu no dia 21 de agosto de 1938 no Rio de Janeiro.

Michèle Rohde

É Especialista em Pedagogia da Arte pela UFRGS. Coordena a Escola de Satisfação Interior Tarot Université, onde realiza leituras de Mapa Astrológico Védico e instrução para educação dos sentidos em Aromaterapia, Cristais, Florais, Meditação, Reiki, Tarot e Yoga por meio de aulas, cursos, jornadas terapêuticas, oficinas e rodas de conversa.

Instagram: https://www.instagram.com/michelemahadevi/

Site: https://michelerohde2.wixsite.com/reiki

Nani do Tutti

Ernani Glorio Marchioretto, conhecido como Nani, é poeta e mantém um dos bares mais populares da cidade de Porto Alegre: Tutti Giorni.

Site: https://www.facebook.com/ernanigloriomarchioretto.marchioretto

Natália Lucas

Mãe do Pedro, Tradutora, Editora, Escritora nas horas loucas, Dançarina, Integrante do Coletivo Paraponera, Batedora de tambor e amiga da Piqui e do Jeff.

Instagram: https://www.instagram.com/coletivoparaponera/

Site: https://pt.translatornatalialucas.com/

Odilon Machado de Lourenço

Odilon Machado de Lourenço nasceu em São Borja, estado do Rio Grande do Sul, em 1980. Graduado em História desde 2009. Escreve versos livres, como se referem os livros dados a informar a teoria da poesia. Publica, através de concursos e antologias coletivas de diversos formatos, algumas anuais. Seus textos se encontram em fanzines diversos, em jornais como a Revolução Cultural, em coletâneas como o Concurso Literário Expresso das Letras, da Editora Revolução Cultural, o Concurso Histórias de Trabalho, da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre. Mensalmente no site da Confraria Artistas e Poetas pela Paz (CAPPAZ)

Site: http://poetadagarrafa.wordpress.com.

E-book: Mares a dentro
Instagram: https://www.instagram.com/odilonmachadodelourenco/

Para colaborar com o trabalho do poeta Odilon, deixe alguma contribuição no Pix: 828.871.870-15

Raquel Miranda Campos

Me chamo Raquel, meu finado pai que escolheu este nome. É bíblico e, por ironia, significa “ovelha mansa”. Sou descendente de etnias historicamente escravizadas e excluídas socialmente, africana e indígena, com muitíssimo orgulho! Em minha certidão de nascimento diz assim cor: parda, mas para mim pardo é o papel que embala a carne do açougue. Mas a carne mais barata do mercado é a carne negra, não é mesmo? Nasci e cresci com uma fé e pirraça muito maiores que minha falta de sorte. Mas senhoras e senhores, vejam bem! Eu poderia estar roubando, eu poderia estar matando, mas estou por aqui, bem como eu gosto… À margem! Teimando em ser feliz!

Santiago

Santiago nasceu em 1950 e o seu  nome verdadeiro é Neltair Abreu, é profissional do cartum, da ilustração e da história em quadrinhos desde 1975, tendo começado no jornal folha da Tarde de Porto Alegre, onde vive. Atuou no “Pasquim”, “Coojornal”, “Correio do Povo”, “Jornal do Comércio” de Porto Alegre, “O Estado de S. Paulo”, revista “Bundas”, “O Pasquim 21”, “Le Monde Diplomatique Brasil”. Tem mais de 18 livros de humor gráfico publicados.

Recebeu em 1990 o Grand Prix (prêmio máximo) do concurso anual do de cartuns do jornal Yomiuri Shimbun em Tóquio. Teve cartuns premiados também em concursos no Canadá, Alemanha, Bulgária e Turquia. Foi ganhador por cinco vezes do Salão de Humor de Piracicaba, onde chegou a ser jurado e presidente do evento.

Facebook: https://www.facebook.com/santiago.neltairabreu/

Ubiratan Carlos Gomes (Bira)

Ubiratan Carlos Gomes é natural de Cachoeira do Sul. É multi artista: artista plástico, violeiro e bonequeiro. Em 1984, junto com o irmão, fundou o grupo Anima Sonho – teatro de boneco, participou como ilustrador com outros artistas na “Edição de risco 2″, montou o espetáculo de música “Nos braços da Encantada”.

Site: https://ubiratancarlosgomes.wordpress.com/

Desenho (retrato): Edgar Vasques

Vania Pierozan

É Artista Gráfica e Educadora, graduada em Design Gráfico pela UFPel RS,  Especialista em Educação pela UFPel e Educação Popular e Movimentos Socias pela FAISA / Instituto Bravagente de Porto Alegre. Atua como educadora em projetos sociais na área de inclusão digital e comunicação com mulheres e adolescentes. Atua como designer e ilustradora em parceria com instituições, projetos e iniciativas de cultura, educação popular e ambiental.

Facebook: https://www.facebook.com/Vania-Pierozan-Design-e-educa%C3%A7%C3%A3o-1481323745440693/

Instagram: https://www.instagram.com/vanpierozan/ https://www.instagram.com/germinadesign/